*Escrito por Kvothe

Com pré-estreia exibida às 00h do dia 14/12, Star Wars VIII: Os Últimos Jedi mostrou mais uma vez, de maneira esplendorosa e arrebatadora, a força que a clássica saga criada por George Lucas em 1977 vem mostrando ao longo de quatro décadas e nove filmes lançados. Em seu oitavo episódio, o longa, com suas quase 2h30 de duração, trouxe novamente aos fãs da saga a emoção da jornada de Rey (Daisy Ridley) em busca de respostas para sua vida, sua relação com a Força e o caminho Jedi e a angústia de Kylo Ren (Adam Driver).

As expectativas eram altas para o segundo filme da terceira trilogia da saga, que, desde sua divulgação e anúncio do título, prometia levar à telona uma épica disputa entre os lados Luminoso e Sombrio da Força, seguindo Rey na procura do equilíbrio entre ambos os lados e a redenção pessoal de Kylo Ren. Como esperado, as expectativas foram alcançadas e, para alguns, até superadas. O filme leva ao telespectador uma épica batalha entre a Aliança Rebelde e a Primeira Ordem. Diferente de O Despertar da Força (2015), o Episódio VIII traz, do início ao fim, as explosivas guerras nas estrelas e os incríveis duelos com o sabre de luz empunhado que tanto agitam os fãs.

Em meio às batalhas, Rey segue seu treinamento com seu novo mestre, Luke Skywalker (Mark Hamill), com quem busca controlar o domínio da Força. Desde o minuto final de O Despertar da Força, em que Rey entrega o sabre de luz a Luke na tentativa de fazê-lo seu mentor, o público estava ansioso para ver o retorno do personagem após tantos anos, imaginando como ele estaria no atual momento e qual caminho teria seguido após os acontecimentos de O Retorno de Jedi (1983). No decorrer do filme, somos apresentados à essa nova visão do pupilo de Yoda, já velho e com seus próprios demônios.

Kylo Ren enfrenta seu tormento pessoal após ter matado seu pai, Han Solo, no Episódio VII, que o fez estar em constante ponto de provação e desligamento de seu passado com os Jedi e, principalmente, Luke Skywalker, seu tio e antigo mentor. Nessa fase da história, o mestre dos Cavaleiros de Ren deixa um pouco de lado sua pose de comandante e passa a ser visto como um discípulo de Snoke que tenta lidar com suas batalhas pessoais. Em uma atuação memorável, o ator Adam Driver mostra de maneira impecável o martírio de Kylo, com momentos de destaque que ficarão para sempre na mente dos fãs.

Um ponto delicado e apreensivo que era esperado para o filme foi o futuro da General Leia, já que a atriz que a interpretava, Carrie Fisher, faleceu em 27 de dezembro de 2016. A dúvida pairava na cabeça do público, afinal, ela é uma das personagens mais importantes da saga, como líder da Aliança Rebelde, mãe de Kylo Ren e irmã de Luke Skywalker. Proposital ou não, houve momentos no filme que pareciam ser feitos para homenagear a atriz, mesmo tendo falecido após o término das gravações. Certos focos de câmera, iluminação e texto passavam a ideia de que ali havia uma pequena homenagem disfarçada.

Apesar de todos os aspectos positivos do filme, alguns arcos ficaram confusos e deixaram personagens importantes, de alguma forma, desconexos. Personagens como Poe e Finn, que funcionaram e cativaram o público com sua parceria no Episódio VII, não têm o mesmo impacto no longa. A introdução de novas personagens e seu relacionamento com as antigas tentou criar uma nova relação crível e que trouxesse um novo clima para o arco, mas acabou não dando tão certo.

Além disso, um ponto incômodo, mas que funcionou de certa forma, foi a utilização de piadas que acabaram tirando a seriedade e intensidade de algumas cenas. A introdução de pontos de humor em batalhas decisivas deixou a situação menos impactante e não combinou com as personagens em que foram utilizadas.

Há pouquíssimas ressalvas para o Episódio VIII da terceira trilogia e vários pontos de destaque que deixarão os fãs arrepiados. O novo filme mostra uma trama intensa, séria, emocionante e memorável. Se as expectativas para ele eram altas, aumentaram ainda mais para o Episódio IX. Os lados Iluminado e Sombrio da Força agem de maneira fascinante na trama.

E, afinal, quem são os últimos Jedi?

Que a Força esteja com você.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário