Vamos ser honestos: a sétima temporada de Game of Thrones foi uma bagunça. Apesar de apresentar momentos espetaculares, como dissemos aqui e aqui, o sétimo ano da série baseada no universo de George R.R. Martin caiu de qualidade de uma forma preocupante – a ponto de o próprio autor, que até então assinava a co-produção, afirmar que não tinha mais tempo pra ver a série. Uma das razões pra essa queda de qualidade pode ter sido justamente o afastamento de Martin. A série da HBO já não tem mais livros pra se basear, e muitas cenas parecem mesmo ter sido feitas seguindo o que os fãs pediam/comentaram no Twitter.

Leia também: George R.R. Martin tá putaço com os rumos de Game of Thrones?

Mas por que CARALHOS estou remoendo isso de novo, meses depois do fim da temporada? Bem. Definitivamente não é pra irritar você que se amarrou nessa temporada. Mas sim pra dizer que parece que os criadores da série tomaram vergonha na cara e viram o tamanho da cagada que fizeram. Ao que tudo indica, o oitavo e último ano de Game of Thrones será BEM mais trabalhado, terminando de forma honrosa essa que é uma das melhores coisas já feitas pela indústria do entretenimento – e não só na tevê.

Para a oitava temporada, que terá seis episódios e só deve estrear em 2019, Game of Thrones trouxe de volta dois nomes de peso: Miguel Sapochnik e David Nutter. Você provavelmente não os conhece de nome, mas COM CERTEZA já viu o que eles fizeram.

Sdds Rei do Norte

Sapochnik dirigiu um dos episódios mais espetaculares de Game of Thrones: The Battle of Bastards, o nono episódio da sexta temporada, e ganhou um Emmy por isso (não era pra menos). Além de The Winds of Winter, o ótimo season finale da sexta temporada. Nutter não fica atrás. Mais conhecido por seu trabalho em Arquivo-X, o cara dirigiu nada menos do que The Red Wedding, um dos episódios mais marcantes de toda a série em minha opinião, e também ganhou um Emmy: por dirigir o episódio Mothers Mercy, season finale da quinta temporada.

É assim que se faz Game of Thrones, porra! Com diretores que também sabem contar histórias

De acordo com a revista EW, nenhum dos dois vai dirigir o episódio derradeiro da série. Essa honra vai ficar pros criadores de Game of Thrones: David Benioff e Dan Weiss, que já dirigiram alguns bons episódios durante os últimos anos. A prática é comum. O mesmo aconteceu com Breaking Bad, Mad Men e Sopranos. Com seis episódios, a esperança é que Sapochnik e Nutter sejam responsáveis por pelo menos quatro. Se os roteiristas não cagarem a porra toda, com certeza teremos uma última temporada espetacular – como fomos acostumados.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário