Thor, o Deus do Trovão, é um dos personagens mais importantes e poderosos da Marvel. Criado por Stan Lee, Larry Lieber e Jack Kirby, o asgardiano é parte fundamental de um universo incrível, a mitologia nórdica, e não seria nenhuma surpresa vermos o surgimento de histórias grandiosas envolvendo esse cenário mítico. Podemos citar dois nomes fundamentais na trajetória de Odinson: Walter Simonson e Jason Aaron.

Simonson representa o que de melhor foi feito com o personagem no passado. Histórias grandiosas e que servem de referência até hoje para quem tem a oportunidade de trabalhar com Thor, como o nome escolhido para representar os últimos anos do filho de Odin: Jason Aaron.

Considerado por muitos um roteirista que nasceu para escrever Thor, Jason Aaron entregou ao público um material fantástico e que num futuro próximo pode receber a alcunha de clássico, assim como as obras de Simonson. Pra quem ainda não teve acesso a esse material, procure as publicações a seguir: ‘O Carniceiro dos Deuses’, ‘Bomba Divina’, ‘O Amaldiçoado’ e ‘Os Últimos Dias de Midgard’.

Dito isso, fica bem claro que Thor tem material de referência suficiente para filmes espetaculares e que facilmente poderiam ser os melhores do Universo Cinematográfico Marvel, correto? Sim, sem dúvidas. Uma pena que não foi isso que aconteceu. Nem de longe.

Thor vs Loki

Antes de mais nada, quero deixar bem claro que a palavra usada no parágrafo anterior foi REFERÊNCIA. Em nenhum momento foi dito que os filmes deveriam ser 100% quadrinhos, mas em alguns aspectos, sim.

Infelizmente, o personagem foi desperdiçado nas telonas. O Thor de Chris Hemsworth, ao contrário do Loki de Tom Hiddleston, não agradou a muitos fãs e a impressão que ficou é de que se levassem a essência do Thor dos quadrinhos e seu espírito guerreiro para os filmes, deixado de lado a comédia, poderíamos ter sido presenteados com dois grandes filmes. Essa abordagem funcionou de maneira perfeita em ‘Capitão América 2: O Soldado Invernal’ (2014). Sobre Loki, vale a pena ressaltar o trabalho de Hiddleston, muito superior ao do protagonista. É um personagem que fará falta no futuro pois assim como seu irmão, deve sumir por um tempo considerável.

Talvez (ênfase no talvez) a trilogia tenha um filme digno em seu desfecho, já que ‘Thor’ (2011) e ‘Thor: O Mundo Sombrio’ (2013) são decepcionantes, principalmente o segundo, que desperdiçou um antagonista excelente (Malekith). A trilogia do Deus do Trovão se encerrará com ‘Thor: Ragnarok‘, com previsão de lançamento para 26 de outubro no Brasil.

O que esperar? Com certeza um filme bem melhor do que os dois primeiros. Não é possível que o diretor Taika Waititi conseguirá a proeza de entregar um filme inferior aos dois primeiros. Duvido muito.

Loirão vs Verdão

Teremos o Hulk no longa. Como um filme solo do Golias Esmeralda é algo bem improvável de acontecer, o personagem terá uma de suas melhores histórias (pra mim a melhor) inserida em ‘Thor: Ragnarok’. A adaptação de ‘Planeta Hulk’ tem seu espaço e relevância no longa, mas infelizmente nada que seja mostrado vai tirar da cabeça dos fãs o filme que poderia ter sido feito com o Verdão protagonista. Uma pena.

‘Thor: Ragnarok’ é a oportunidade de tentar encerrar de maneira digna o ciclo solo do Deus do Trovão no UCM. Faltando pouco mais de um mês para a estreia do longa, o que resta para nós, fãs do personagem, é esperar. Acredito que em pouco tempo saberemos se o longa é ou não digno.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário