Observando as páginas das principais redes de cinema do país, percebo que temos uma variedade interessante de gêneros para o público. Drama, ficção científica, romance, ação, suspense, terror e por aí vai. Vale ressaltar a presença constante de produções nacionais em meio a tantos filmes com orçamentos astronômicos de Hollywood.

Claro, sempre haverá uma franquia em cartaz. Isso me incomoda bastante.

Será mesmo que toda produção bem sucedida comercialmente necessita de sequência? Tudo precisa se tornar uma franquia?

Vou ignorar os filmes ‘super-heroicos’ e me dedicar apenas aos outros gêneros. Pra começar, vamos com o clássico do terror ‘O Exorcista’.

Considerado por muitos o melhor filme de terror já feito, a obra protagonizada por Linda Blair possui uma construção bem estruturada do início ao fim, servindo de referência para inúmeras produções que surgiram posteriormente, algumas boas, outras nem tanto, porém nada que chegasse próximo do longa sobre a possessão da menina Regan.

E então vieram as sequências… Pura decepção! Os longas que sucederam o original são fracos e esquecíveis para os fãs.

As sequências lançadas para a telona foram decepcionantes mas o que dizer de uma série de TV?

Justamente o contrário!

A série sobre ‘O Exorcista’ lançada pela Fox foi bem recebida pelo público e está na segunda temporada. É possível que esse formato seja o mais adequado para uma releitura da obra e esperamos que o nível seja mantido.

 

fucking blade runner

 

Vamos deixar o terror de lado agora e partir pra ficção científica. ‘Blade Runner 2049’ está chegando aos cinemas em breve, com o retorno de Harrison Ford e acompanhado por Ryan Gosling e Jared Leto. A produção original, ‘Blade Runner’, é um exemplo clássico de sucesso tardio. Considerado um fracasso na época do seu lançamento, o longa de Ridley Scott é considerado um clássico scifi há algum tempo e tem uma legião de fãs espalhados pelo mundo. Acredito que na opinião da maioria esmagadora desses fãs a obra deveria permanecer em êxtase para sempre. Mas pensaram o contrário!

Não é hora de avaliar se o filme será um sucesso ou um fracasso, mas o primeiro filme é tão bom que o ideal seria deixá-lo como único, para que a aura criada ao longo dos anos não se perca jamais.

Pra finalizar, ‘Mad Max: Estrada para Fúria’ . Sequência ou reinício?

O grande premiado na cerimônia do Oscar em 2015 foi sucesso de público e crítica, chegando ao ponto de ser considerado superior aos filmes da trilogia original. Gosto muito dos três filmes com Mel Gibson, estão no meu coração, mas a verdade é que ‘Mad Max: Estrada para Fúria’ consegue facilmente ser melhor do que todos eles (meu favorito ainda é o primeiro). Eu vejo como um produto novo usando um nome consagrado e que felizmente deu certo.

Enfim, para o bem ou para o mal, as sequências estão por aí. Tem obrigação de superar os originais? Não, desde que mantenha o nível de qualidade e não seja obrigatoriamente uma sequência direta. Vamos aproveitar cada produto como se fosse algo único e dele guardar as melhores recordações. Fica a dica.

2 Comentários

  1. Cadê o comentário que eu deixei? Podiam ter pelo menos corrigido o gravíssimo erro de ter trocado Linda Blair por Linda Carter…

    • Opa! Oi Ramiro, tudo bem? Cara, estava buscando o comentário no sistema e agradeço muito pela sua correção. Eu errei não por desconhecimento mas pelo fato de estar produzindo um material onde menciono a Carter algumas vezes. Obrigado viu? Quando alguma informação estiver divergente ou confusa pode falar mesmo. Um grande abraço!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário