Várias pessoas são movidas a sonhos e realizações, comigo não é diferente. Um dos meus sonhos que se tornou realidade foi ter a chance de morar em um apartamento próprio após anos morando em uma casa muito boa e confortável, uma parte inesquecível da minha vida.

É muito bacana morar num apartamento mobiliado de maneira prática e organizada, onde os espaços são aproveitados de visando otimizar a vida de quem o habita. Desde que você não seja um colecionador de quadrinhos como eu.

Sim, meus amigos… A vida de colecionador casado e morador de apartamento não é fácil não e (in)felizmente os números só aumentam. Calma, não sou um acumulador (longe disso) mas durante o período da aquisição do imóvel eu estava em “modo de hibernação” em relação aos gibis. Jamais imaginei que retomaria minha paixão com tanta vontade, gerando um “problema” inesperado.

O quarto menor tem um guarda roupa, uma cama de solteiro e uma sapateira. Normal né? Desde que seja possível enxergar a cama e metade da sapateira não tenha se tornado um local para quadrinhos de todos os formatos. Volta e meia estou lá desarrumando tudo para arrumar novamente e deixar o papel respirar (sim, tem isso) e não amarelar. Consegui dar um jeito na cama graças a uns puffs que encontrei em boa hora.

Bagunça organizada

No meu quarto não tenho nada guardado mas já deixei algumas vezes três ou quatro edições debaixo do travesseiro por não saber o que fazer com elas após a leitura mas no final das contas o destino acaba sendo a milagrosa sapateira, que de sapatos mesmo só tem duas prateleiras. Mais gibis, menos sapatos!

Felizmente tenho uma ótima esposa e ela não vê problemas no meu colecionismo, inclusive já comprou edições da Salvat pra mim lá no comecinho, quando o objetivo não era dar a volta no planeta com sua lombada gigantesca (falaremos disso em breve). Maaas… Ela é daquelas mulheres que odeiam bagunça e a visão de uma cama cheia de quadrinhos a tirava do sério. Já não tenho mais desculpas. E agora? Será que ela vai jogar pela janela? Duvido muito mas seguro morreu de velho. Vou guardar no meio das minhas roupas.

Já vi casos de colegas que fizeram móveis projetados, estantes, prateleiras e outras coisas para solucionar o problema porém é preciso todo um cuidado na escolha do material. MDF, o mais usado, enverga dependendo da sua espessura (sapateira está começando a envergar) e a melhor opção é adotar o material mais resistente, porém custa mais caro. Melhor gastar um pouco a mais e evitar de sua coleção cair na sua cabeça ou de algum convidado.

Temos as caixas de plástico disponíveis em lojas de departamento, bem utéis é verdade, mas são objetos que passam longe pra mim pois não tem onde deixá-las no apartamento sem impedir a passagem pra algum lugar. Tenho duas guardadas na casa de familiares, mas até hora pra acessar o local onde estão (despensa) existe. Tenso!

Acredito que a melhor solução é doar. Sim, isso mesmo! Doar materiais que serão relançados em encadernados (capa mole, cartão ou dura) ou algo que você simplesmente não tem mais interesse mas que pode ser o desejo de alguém. No caso específico das mensais ou mini-séries, passar para quem gostaria de ler determinado personagem mas não tem como adquirir no momento por dificuldades para encontrar ou por não ter condições de adquirir uma coleção mensal fechada de uma vez, visto que os preços praticados por aí são um verdadeiro assalto. Doar para crianças é ainda melhor, pois elas ficam encantadas com as cenas presentes nos gibis e viajam para aquele mundo fictício com uma facilidade incrível, sem dar nenhuma importância pra cronologia (alguns de nós, marmanjos barbados, são psicopatas com isso).

Lá no começo eu disse que gosto de apartamento devido a praticidade e organização. Com o tempo você fica mais experiente e pensa duas vezes antes de comprar uma quantidade grande de materiais que em um ou dois anos serão relançados de maneira compacta, facilitando o armazenamento. É possível ter uma quantidade considerável de quadrinhos e viver em um apê de maneira confortável e organizada, sem tropeçar num Sandman Edição Definitiva da vida ou ver o seu gato de estimação tentando atacar seus gibis da Marvel. Estou trabalhando nisso e acredito que outros colegas colecionadores espalhados por aí passam ou passaram por esse tipo de situação que eu, heroicamente, estou conseguindo resolver.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário