Wolverine, mutante favorito de grande parte dos fãs dos quadrinhos. E hoje vamos falar um pouco sobre uma das melhores histórias do personagem, “Wolverine: Arma X”.

Barry Windsor-Smith é a mente responsável por tudo aqui. O britânico assina roteiro e arte, além de participar da escolha das cores utilizadas na obra e também acompanhou o processo de diagramação. Tanta dedicação e cuidado para entregar uma história brilhante, ainda que não muito fácil de compreender num primeiro momento devido a narrativa gráfica intrincada, exigindo bastante atenção do leitor.

Na trama, vemos a vida de James Howlett, ou simplesmente Logan, mudar para sempre. Nocauteado e sequestrado, é levado por homens até uma instalação secreta em algum lugar do Canadá. Lá, assistimos a todo o doloroso processo de desconstrução do homem e o surgimento da máquina assassina que conhecemos como Arma X.

O sofrimento ao qual Logan é submetido mexe com as emoções de quem está lendo pela primeira vez ou relendo a obra, pois a sensação que se tem é de que estamos lá em pessoa, presenciando toda aquela invasão ao corpo e mente do personagem ao lado do enigmático “Professor”, da Srta. Hines e o Dr. Cornelius.

Em “Arma X” temos a oportunidade de ver um dos momentos mais impactantes do personagem: a fusão do metal adamantium ao seu esqueleto e o quão doloroso foi todo aquele processo terrível, mesmo com seu fator de cura presente.

O fato da trama girar somente em torno de Logan e mais três personagens é uma das grandes sacadas do autor, pois é possível compreender os pontos de vista de cada um dos envolvidos, como o Dr. Cornelius, confuso sobre sua participação no experimento e o Professor, agindo sob ordens de alguém misterioso. Já Logan, por mais invadido que tenha sido física e mentalmente, ainda preserva sua humanidade e isso acaba se tornando sua maior arma dentro do contexto da história. Quando reassume o controle da sua mente, o homem e o animal nele coexistem e isso trará sérias consequências do meio ao final da trama.

Barry Windsor-Smith foi genial em “Arma X” e não é à toa que sua obra é considerada a versão definitiva da origem do personagem. Uma trama que envolve drama, suspense e ação, deixando o leitor apreensivo e maravilhado ao mesmo tempo, tamanha é a qualidade do material. A arte é muito boa e casa perfeitamente com o conteúdo da obra, que nos apresenta uma colorização sombria, mesmo com a utilização de cores berrantes.

“Wolverine: Arma X” é um clássico do personagem e uma das melhores histórias da Marvel que já tive a oportunidade de ler. Uma obra indispensável em qualquer coleção!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário