Encantado com a primeira temporada de True Detective, fiquei curioso sobre Carcosa e sobre o livro que é uma das fontes de inspiração dessa série tão perturbadora. O Rei de Amarelo, de Robert W. Chambers, é classificado pela maioria como uma coletânea de contos. Para mim, é uma história só, mas mais perturbadora que a série.

Digo que é uma história única por concordar com a lógica do personagem de Matthew McConaughey, que durante o depoimento na delegacia tece um argumento sobre o tempo e realidades alternativas. Em O Rei de Amarelo, um conto tem ligação com o outro. Para algumas pessoas, são apenas referências mas, para mim, são eventos intimamente ligados.

Poderia argumentar exaustivamente sobre isso e até citar o físico Stephen Hawking para tentar provar minha teoria da conspiração, mas isso pode ser chato e longo demais para um blog (talvez caiba mais como tema de monografia).

Então vamos ao que interessa: o livro e a mitologia amarela. A obra de Chambers foi publicada em 1897, mas a ideia de um livro amarelo que perturba as pessoas vem de antes. Em O Retrato de Dorian Gray, publicado em 1890, essa ideia aparece. Outros autores também exploraram esse livro.

Resumo de O Rei de Amarelo

Para não te matar de curiosidade, o livro de Chambers tem dez histórias e em quatro delas os personagens são assombrados por peça teatral cujo nome é O Rei de Amarelo. Todos que leem essa peça ficam doentes, completamente perturbados pelo conteúdo dela que, claro, nunca é totalmente revelado.

Essa coisa do amarelo tem uma relação com o período. A cor era associada a podridão, boêmia, depravação e outros elementos de uma vida não regular e tradicional. O autor, no entanto, consegue desenvolver uma trama de terror diferente do que estamos acostumados a ver no cinema. Ela perturba, não assusta. Além de True Detective, o livro inspirou os escritores H.P. Lovecraft, Stephen King e Neil Gaiman.

Principais elementos de O Rei de Amarelo

Em junho de 2014 a Revista Galileu levantou os elementos-chave do livro, o que pego emprestado para mostrar um pouco do que a publicação traz:

O Rei de Amarelo – entidade poderosa e misteriosa, que sempre aparece vestida com trapos amarelos para personagens tomados pela loucura. Também se refere ao livro amaldiçoado de conteúdo misterioso e terrível.

Carcosa – a cidade mitológica (e retratada em True Detective) pode ter sido inspirada por Carcassone, na França. Na obra de Chambers, não se sabe se ela é apenas um delírio, se existe em outra dimensão ou em outro planeta.

A constelação de touro – as Híades e Aldebarã, estrelas citadas com frequência nas histórias, pertencem à constelação que é associada ao Rei de Amarelo. Podem também ser as “estrelas negras” que apareceriam no céu de Carcosa.

O emblema amarelo – uma marca lendária que, quando aparece, indica que o personagem passou do mundo real para uma dimensão possivelmente criada por sua própria loucura. Aparece formado por pássaros para Rust Cohle, em True Detective, sinal da instabilidade mental do personagem.

Confira o trailer de True Detective





2 Comentários

  1. Teste de infinity scroll [vc_row][vc_column][vc_column_text el_class="smart_scroll_container"][/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

  2. [ajax_load_more container_type=”div” post_type=”post” posts_per_page=”3″ post_format=”standard” category=”destaque,ultimas”]

Comentários estão bloqueados.